sábado, 27 de junho de 2009

sexta-feira, 26 de junho de 2009

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Gazoon



Uma maravilha no canal JimJam ;)

Barrigas de Amor


No próximo domingo, Parque dos Poetas, Oeiras

quarta-feira, 24 de junho de 2009

O Quartinho das Crianças...

Para conseguir um quarto divertido e ao mesmo tempo propiciador do sono, tenha em consideração aspectos como a localização, iluminação, janelas, soalho, cor das paredes, mobília, camas, tecidos e espaços de armazenagem.

Localização: idealmente, os quartos das crianças deveriam estar virados para nascente, de forma a absorverem a energia ascendente do sol (representativa do crescimento). Oeste (poente) é também uma boa direcção para crianças muito activas (energia descendente).
Iluminação: as luzes devem ser focos virados para cima, dado que fornecem uma iluminação mais global e bem distribuída, ampliando o espaço. Devem evitar-se candeeiros de metal, que conduzem de uma forma mais acentuada a energia electromagnética e a electricidade estática. É importante que a luz seja a suficiente para que a criança não tenha dificuldade em ver os brinquedos, nomeadamente quando está a brincar no chão, mas que não seja demasiada, permitindo redução à hora do deitar. Uma luz de presença pode ser uma boa companhia, mais pela referência que representa do que pela iluminação que produz.
Janelas: devem ter cortinados de algodão, de preferência de enrolar para levantar durante o dia, criando uma atmosfera mais activa, e descer durante a noite, para que a criança possa dormir melhor, sem luzes exteriores.
Soalho: evitar o uso de alcatifas, dada a acumulação de pó, ácaros e bolores. O soalho de madeira é o mais saudável e o mais fácil de limpar. Poderá haver uma zona de linóleo ou material equivalente, para certas brincadeiras que requerem superfícies deslizantes.
Cor das paredes: os tons de azul (claro) são particularmente bons; nuances de verde ou amarelo podem também ser utilizadas. O uso de duas cores é bom.
Mobília: os móveis devem ter cores alegres e os cantos arredondados, para diminuir o risco de acidentes.
Camas: é importante que as crianças durmam com a cabeça virada para o mesmo lado, com a cabeceira encostada à parede; as camas devem ser de madeira. Não se deve deixar as camas por fazer durante o dia.
Tecidos: utilizar lençóis ou fronhas de almofada de algodão. Os cobertores devem ser de materiais naturais. O colchão, se em algodão maciço, permite que o sono seja mais reparador e que a transpiração se dê de uma forma adequada. Os edredões são uma boa opção, mas há que atender ao material interior (pode a criança ser alérgica às penas, por exemplo), e ao grau de aquecimento e absorção da humidade e suor. À noite as crianças suam mais.
Guarda-brinquedos: colocar umas quantas caixas (de madeira, se possível), de modo a que a criança aí guarde todos os brinquedos antes de dormir, de forma organizada. Durante o dia os jogos poderão estar mais disponíveis.

A evitar
Tendo em conta tudo o que se sabe, não será mau tomar algumas precauções:
material eléctrico e electrónico – é essencial que a criança não durma perto de uma aparelhagem de som (a distância mínima deverá ser superior a um metro e meio); as colunas de som contêm um íman que altera bastante o campo electromagnético; o mesmo é verdade para relógios digitais e computadores que, mesmo desligados, criam um campo de electricidade estática nociva para a saúde – o melhor é, caso existam, desligá-los na tomada, durante a noite;
cabeceiras por baixo de janelas – não se deve colocar a cabeceira da cama debaixo de uma janela, pois cria energia muito activa que pode dificultar o sono;
portas abertas – durante a noite, o ideal é fechar a porta do quarto, assim como as cortinas, acalmando assim o fluxo de energia e favorecendo um sono profundo, a menos que a criança reclame por se sentir amedrontada;
mobílias pesadas – o mobiliário do quarto deve ser «leve» e simples, para não o tornar opressivo ou dar uma ideia de redução de espaço, que torna o «animal» que há em nós naturalmente mais agressivo e inquieto;
espelhos – mesmo sem ir às teorias que dizem que os espelhos impedem de nos livrarmos das emoções antigas, sabe-se que amplificam as ondas electromagnéticas e a electricidade residual, interferindo com o processo de acalmar.
Atenção: nada do que escrevi é garantia de noites totalmente tranquilas – isto é um aviso para os pais que já não dormem há dois ou três anos e que poderão pensar que os seus problemas se vão resolver com meia dúzia de medidas, até porque os factores que interferem com o sono são múltiplos –, mas pensando que o sono é uma fase do dia em que se deve receber um mínimo de estímulos externos e ter a máxima segurança para o cérebro se dedicar «de corpo e alma» à gestão da informação e bom arquivo dos estímulos, com a construção de uma memória eficiente, todas estas indicações fazem sentido e apontam na mesma direcção.

Ponyo, o peixinho dourado que quer ser Criança

Google para Miúdos



Encontrado em La Double Vie de Véronique

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Comidaaaaa





NurtureBaby is an online community for parents and parents-to-be that features homemade baby food recipes, baby nutrition tips, and time-saving techniques to make delicious and nutritious baby food. NurtureBaby is an inspirational and informative resource for creative, healthy baby food recipes that serve as an alternative to the traditional store-bought food.


Baby Panthers, Black Cats ;)



Newborn baby panthers Larisa and Sipura stare at photographers during a media presentation of the cubs at the Tierpark zoo in Berlin, Germany.

terça-feira, 9 de junho de 2009

A Baby is «Useless on Purpose»


Now that I got your attention :)

Seed: You describe children as being “useless on purpose.” What do you mean by that?
AG:
It’s related to one of the basic things that came out of our research: Why do children exist at all? It doesn’t make tremendous evolutionary sense to have these creatures that can’t even keep themselves alive and require an enormous investment of time on the part of adults. That period of dependence is longer for us than it is for any other species, and historically that period has become longer and longer.

The evolutionary answer seems to be that there is a tradeoff between the ability to learn and imagine — which is our great evolutionary advantage as a species — and our ability to apply what we’ve learned and put it to use. So one of the ideas in the book is that children are like the R&D department of the human species. They’re the ones who are always learning about the world. But if you’re always learning, imagining, and finding out, you need a kind of freedom that you don’t have if you’re actually making things happen in the world. And when you’re making things happen, it helps if those actions are based on all of the things you have learned and imagined. The way that evolution seems to have solved this problem is by giving us this period of childhood where we don’t have to do anything, where we are completely useless. We’re free to explore the physical world, as well as possible worlds through imaginative play. And when we’re adults, we can use that information to actually change the world.



Read all in SEED

Partly Cloudy já está no YouTube



Cliquem e maravilhem-se ;)

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Here, Kitty Kitty

Dia Mundial do Ambiente



Home - O Mundo é a nossa Casa, de Yann-Arthus Bertrand

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Why Children Turn out the Way They Do

It’s time to move beyond the nature/nurture divide:

Earlier this year, on the tenth anniversary of its first publication, The Nurture Assumption: Why Children Turn Out The Way They Do by Judith Rich Harris was revised and updated. The book is a welcome antidote to the increasingly shrill voices lecturing us today about the ‘right’ ways of parenting. But as an insight into what it means to be human, and what shapes our development, Harris’s book raises more questions than it answers.

Ler tudo na Spiked, bless you ;)

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Dia Internacional da Criança


Iniciativas:

Lifecooler TimeOut

Madagascar, Escape 2 Africa



Uma mariquice pegada, e mais um filme que ganha em ser visto em casa, para não se perder o mais ínfimo pormenor ;)

Sítio na Web