quarta-feira, 24 de junho de 2009

O Quartinho das Crianças...

Para conseguir um quarto divertido e ao mesmo tempo propiciador do sono, tenha em consideração aspectos como a localização, iluminação, janelas, soalho, cor das paredes, mobília, camas, tecidos e espaços de armazenagem.

Localização: idealmente, os quartos das crianças deveriam estar virados para nascente, de forma a absorverem a energia ascendente do sol (representativa do crescimento). Oeste (poente) é também uma boa direcção para crianças muito activas (energia descendente).
Iluminação: as luzes devem ser focos virados para cima, dado que fornecem uma iluminação mais global e bem distribuída, ampliando o espaço. Devem evitar-se candeeiros de metal, que conduzem de uma forma mais acentuada a energia electromagnética e a electricidade estática. É importante que a luz seja a suficiente para que a criança não tenha dificuldade em ver os brinquedos, nomeadamente quando está a brincar no chão, mas que não seja demasiada, permitindo redução à hora do deitar. Uma luz de presença pode ser uma boa companhia, mais pela referência que representa do que pela iluminação que produz.
Janelas: devem ter cortinados de algodão, de preferência de enrolar para levantar durante o dia, criando uma atmosfera mais activa, e descer durante a noite, para que a criança possa dormir melhor, sem luzes exteriores.
Soalho: evitar o uso de alcatifas, dada a acumulação de pó, ácaros e bolores. O soalho de madeira é o mais saudável e o mais fácil de limpar. Poderá haver uma zona de linóleo ou material equivalente, para certas brincadeiras que requerem superfícies deslizantes.
Cor das paredes: os tons de azul (claro) são particularmente bons; nuances de verde ou amarelo podem também ser utilizadas. O uso de duas cores é bom.
Mobília: os móveis devem ter cores alegres e os cantos arredondados, para diminuir o risco de acidentes.
Camas: é importante que as crianças durmam com a cabeça virada para o mesmo lado, com a cabeceira encostada à parede; as camas devem ser de madeira. Não se deve deixar as camas por fazer durante o dia.
Tecidos: utilizar lençóis ou fronhas de almofada de algodão. Os cobertores devem ser de materiais naturais. O colchão, se em algodão maciço, permite que o sono seja mais reparador e que a transpiração se dê de uma forma adequada. Os edredões são uma boa opção, mas há que atender ao material interior (pode a criança ser alérgica às penas, por exemplo), e ao grau de aquecimento e absorção da humidade e suor. À noite as crianças suam mais.
Guarda-brinquedos: colocar umas quantas caixas (de madeira, se possível), de modo a que a criança aí guarde todos os brinquedos antes de dormir, de forma organizada. Durante o dia os jogos poderão estar mais disponíveis.

A evitar
Tendo em conta tudo o que se sabe, não será mau tomar algumas precauções:
material eléctrico e electrónico – é essencial que a criança não durma perto de uma aparelhagem de som (a distância mínima deverá ser superior a um metro e meio); as colunas de som contêm um íman que altera bastante o campo electromagnético; o mesmo é verdade para relógios digitais e computadores que, mesmo desligados, criam um campo de electricidade estática nociva para a saúde – o melhor é, caso existam, desligá-los na tomada, durante a noite;
cabeceiras por baixo de janelas – não se deve colocar a cabeceira da cama debaixo de uma janela, pois cria energia muito activa que pode dificultar o sono;
portas abertas – durante a noite, o ideal é fechar a porta do quarto, assim como as cortinas, acalmando assim o fluxo de energia e favorecendo um sono profundo, a menos que a criança reclame por se sentir amedrontada;
mobílias pesadas – o mobiliário do quarto deve ser «leve» e simples, para não o tornar opressivo ou dar uma ideia de redução de espaço, que torna o «animal» que há em nós naturalmente mais agressivo e inquieto;
espelhos – mesmo sem ir às teorias que dizem que os espelhos impedem de nos livrarmos das emoções antigas, sabe-se que amplificam as ondas electromagnéticas e a electricidade residual, interferindo com o processo de acalmar.
Atenção: nada do que escrevi é garantia de noites totalmente tranquilas – isto é um aviso para os pais que já não dormem há dois ou três anos e que poderão pensar que os seus problemas se vão resolver com meia dúzia de medidas, até porque os factores que interferem com o sono são múltiplos –, mas pensando que o sono é uma fase do dia em que se deve receber um mínimo de estímulos externos e ter a máxima segurança para o cérebro se dedicar «de corpo e alma» à gestão da informação e bom arquivo dos estímulos, com a construção de uma memória eficiente, todas estas indicações fazem sentido e apontam na mesma direcção.

1 comentário:

mawalien disse...

"não se deve colocar a cabeceira da cama debaixo de uma janela, pois cria energia muito activa que pode dificultar o sono;"

So.... we can store dead batteries under the window, and by morning they'll be charged?

Don't see how being under the window would have any revelance.

Theoretically, then... if you put the bed on the other side of the room, the opposite would happen, and create a lot of negative energy? Dont see how that could make the child sleep any better...

And the only energy closing the door saves on it thermic energy....

These yanks always have real ZEN ideas about things :P