sábado, 8 de janeiro de 2011

domingo, 2 de janeiro de 2011

Feliz Ano Novo - De Grávida a Mãe


[De quem é esta bela ilustração?]

O que acontece no corpo e na mente das mulheres desde o momento da concepção até ao primeiro fôlego do seu bebé. O determinismo dos genes, o poder do factores ambientais, dicas para viver uma gravidez tranquila e ter um bebé saudável. Uma obra para quem quer saber de amamentação, chuchas, fraldas e noites mal dormidas. O conhecimento é a melhor arma contra a insegurança, como explicam, com graça, Michael Roizen e Mehmet Oz.
Não tem nada que enganar. Basta um ovo, cem milhões de espermatozóides muito excitados e paixão q.b. para envolver o que ganhar a corrida. Depois, guarda-se no útero durante quarenta semanas e protege-se com uma boa dose de serenidade. Seguir estes passos é meio caminho andado para ter uma gravidez tranquila e um bebé saudável após o nascimento e durante toda a vida.
É mais ou menos assim que a famosa dupla Michael Roizen e Mehmet Oz começa o seu novo livro, YOU Vou Ter Um Bebé, o Manual de Instruções para Uma Gravidez Saudável e Feliz. Desta vez os médicos norte-americanos propõem-se ajudar as futuras mães a terem uma gravidez sem stress, um parto sem complicações e o bebé mais saudável do mundo. Desejos e anseios que dependem da informação e do conhecimento, da gestão do stress e da ansiedade e do apoio das pessoas que estão à volta das grávidas. O funcionamento do corpo, a alimentação, os enjoos e os apetites, a auto-imagem e o desejo sexual, a genética e a epigenética, enfim, tudo o que se passa na cabeça da mulher antes, durante e depois de trazer um bebé ao mundo: «Independentemente de ser a primeira ou a quarta, a gravidez é a coisa mais avassaladora do mundo. E a que gera maior conflito interno. Num momento está toda entusiasmada, completamente eufórica e impaciente pelo primeiro sorriso do seu bebé, o primeiro balbuciar, o primeiro abraço que lhe encherá a alma. No outro, sente-se ansiosa, cheia de incertezas perante o que se passa na sua barriga, se o pequenote está a crescer bem e se você vai conseguir viver sem dormir nada.» Para que nenhuma mãe «entre em parafuso», Roizen e Oz lembram que «o corpo da mulher está preparado para ter bebés de uma forma segura e eficaz. Não quer dizer que a viagem corra sempre às mil maravilhas, mas significa que tem tudo a seu favor. Se souber o que fazer para que a natureza siga o seu percurso natural, só aumenta as probabilidades de tudo correr bem». Ora vamos ver o que é que a espera, a si e ao seu bebé.
Post-its biológicos
Depois da batalha romântica, é a vez de os genes e o ambiente entrarem em acção. E ao facto de nascermos de «uma simples célula fertilizada e nos transformarmos nos milhares de milhões de células que compõem uma pessoa» Oz chama um grande milagre da natureza: «As células humanas contém 23 pares de cromossomas, as estruturas que contêm o nosso ADN, uma espécie de livro de instruções que diz ao corpo como se deve desenvolver.» Mas isto é só uma pequena parte da história, senão os gémeos idênticos, que têm exactamente o mesmo ADN, não desenvolviam traços diferentes, como acontece. O que está por detrás destas diferenças, explica a dupla médica, são os factores ambientais que, «muito provavelmente ainda no útero, influenciam a expressão dos genes». É a epigenética em acção.
E é a epigenética que nos torna únicos: «Os genes são como as receitas, são instruções para se criar uma coisa. Tanto a mãe como pai dão ao seu descendente uma cópia do enorme livro de receitas de cada um mas, no caso de muitos genes, só uma cópia de cada receita será usada pelo bebé. Por exemplo, os genes dos olhos são castanhos, azuis ou verdes e para esses genes só se expressa o gene do pai ou da mãe, ou seja, só uma cópia é activada, nunca as duas.»
O organismo humano é composto por cerca de 25 mil genes e contém cerca de duzentos tipos de células diferentes. Para que estas saibam quais os genes que lhes interessam - o da mãe ou o do pai -, «o corpo põe post-its biológicos, chamados etiquetas epigenéticas, em determinados genes para definir quais as receitas biológicas que vão ser usadas». Esta «rotulagem», explicam Oz e Roizen, «ocorre durante vários processos químicos mas, vejam só, «as acções da mãe durante a gravidez influenciam esses processos e determinam onde são colocados os post-its e quais os genes que serão expressos afectando, em última análise, a saúde do bebé».
Entendido porque é que os genes, só por si, não explicam a diversidade do nosso aspecto, comportamento e até a forma como nos desenvolvemos? «A forma como os genes são expressos tem um papel importantíssimo na imensa diferença que há entre nós e os macacos, com quem partilhamos 99,8 por cento do ADN, e nas óbvias e subtis diferenças entre dois seres humanos, embora tenhamos 99,9 por cento de ADN comum.»
Uma canção biológica
Agora que já sabe que os factores de stress do meio envolvente da mãe, incluindo a alimentação e o tabaco, provocam alterações nos padrões de expressão dos genes do feto, chegou a altura de explicitar os desafios que se colocam às mães. Sem culpabilidades, pois até há pouco tempo desconhecia-se o papel da epigenética antes do parto e, por outro lado, «podemos regular a actividade dos genes depois do nascimento - no caso da criança que vai ter, de crianças anteriores e até no seu caso». Como? «O segredo é parar e fazer uma inversão de marcha YOU e acabar com os comportamentos prejudiciais logo que possível. Até mesmo os efeitos nefastos do tabaco podem ser revertidos se deixar de fumar no princípio da gravidez.
O Dr. Oz usa uma metáfora musical para explicar melhor o funcionamento da epigenética: «O ADN é a composição que determina a individualidade do bebé, afinal existem milhares de formas de juntar as notas musicais. Mas a questão é que há muitas maneiras de interpretar uma canção. A mesma canção, diferentes interpretações, diferentes resultados. Ora, você e o seu parceiro têm, cada um, o respectivo ADN, e depois de se renderem a uma noite de boogie-woogie fizeram a vossa canção biológica na forma de um bebé. O código genético está definido, mas têm ainda a oportunidade de interpretar a canção e mudar a forma de os genes do seu filho se expressarem. E isto, caros amigos, é música para os vossos ouvidos.»
Dicas YOU
Estar grávida e ter um filho é talvez o maior desafio da nossa vida. Mas é um desafio bom. Agora que está preparada para o repto lembre-se de que durante os próximos meses o seu comportamento vai mudar: «Tal acontece devido às alterações dos níveis hormonais que podem levá-la a fazer coisas que nunca imaginaria. Não tem importância. O seu objectivo é proporcionar ao bebé um ambiente saudável mas não tem de se sentir mal se de vez em quando não cumprir essas recomendações.»
No que respeita à alimentação, o importante é comer bem a maior parte do tempo. «Já sabemos que os seus hábitos alimentares podem dar voltas de 180 graus de um momento para o outro. Por isso não deve estranhar os momentos em que lhe apetece comer tudo e mais alguma coisa nem os momentos em que parece que vai desfalecer. Deve é procurar comer nove ou mais doses (uma mão-cheia) de fruta e vegetais, três ou mais doses de cereais integrais, três ou mais doses de proteína magra (carne magra e aves sem pele, peixe, ovos, nozes, feijões, lentilhas, tofu).» Ter um momento de fraqueza e cair em tentações gastronómicas de vez em quando não é problema de maior. Desde que não se torne um habito, avisam os médicos Michael Roizen e Mehmet Oz.
Outra regra de ouro da alimentação é comer várias vezes por dia. Pelo menos seis. «Assim se evita a queda dos níveis de açúcar e os enjoos.» E para fazer face aos desejos a dica é comer alimentos que a deixem satisfeita e que não prejudicam nem a si nem ao seu bebe. Trocar batatas fritas por batatas assadas; gelados por iogurte; alimentos fritos por grelhados; bolachas com pepitas de chocolate por um quadradinho de chocolate preto; batatas fritas de pacote por pipocas rebentadas em ar quente e não em gordura são algumas sugestões. Segundo a dupla norte-americana, devem evitar-se os hidratos de carbono simples (açúcar refinado, massas e pão branco), gorduras transaturadas (gordura de animais de quatro patas, óleo de palma e de coco, óleos hidrogenados, alimentos fritos ou processados) e, claro, os demónios alimentares das grávidas - a cafeína (incluindo as bebidas carbonadas) e o peixe com alto teor em toxinas (peixe-espada, cavala, atum). Faça-o por si e pelo seu bebé, que precisa de nutrientes e não de calorias.  
Do que o seu bebé também precisa é de ser estimulado. Ainda no útero, com a voz da mãe e com música, e depois do nascimento, mimando-o e dando-lhe a atenção, os cuidados e o tempo de que os recém-nascidos precisam. Até lá, informe-se, porque o conhecimento é a melhor arma contra a insegurança. Em YOU Vou Ter Um Bebé, o Manual de Instruções para Uma Gravidez Saudável e Feliz, Michael Roizen e Mehmet Oz explicam tintim-por-tintim o sentido do planeamento da gravidez, os exercícios durante a gestação, o sono, os medicamentos, o peso, o trabalho, a preparação para o parto, a escolha da parteira, do médico e do hospital, os cuidados com o recém-nascido, o regresso a casa, as vacinas, etc. A resposta a todas as dúvidas que a assolam numa linguagem clara, rica e muito divertida. Com dicas para exercícios, planos alimentares e pareceres muito sérios sobre o papel do homem, enquanto marido e pai.
E por falar em pai, é claro que este não vai festejar o nascimento do filho com charutos, mas sim com muitos beijinhos e abraços e, porque não, com uma simpática lista de desejos oferecida pela mãe. Para já, fique a saber que há três áreas em que o pai vai realmente fazer a diferença: na logística (a pintar paredes, a montar e a desmontar berços, cadeirinhas, carrinhos, etc.); no plano emocional (já não é o número um e as conversas sobre futebol, política ou música já não interessam, o que está na ordem do dia são enjoos, ecografias, birras e sogras) e, finalmente, a nível físico (vai gastar menos calorias a fazer amor, a não ser que passe a usar as duas mãos para fazer carícias e massagens). Preparados para o embate que vai mudar as vossas vidas? Com certeza que sim!
Grandes momentos da vida no útero
As etapas mais importantes do desenvolvimento do bebé, segundo a idade clínica.
6 semanas O coração está formado e a circulação estabelecida. Uma grande parte dos pulmões também está formada, bem como os dedos das mãos e dos pés e partes da face, nomeadamente os lábios.
7 semanas O feto consegue produzir urina. As «bolhas» na zona dos olhos colapsam formando estruturas côncavas.
9 semanas O sistema imunológico começa a desenvolver-se com a formação das células B, um tipo de glóbulos brancos que ajudam a combater as infecções. As fossas nasais estão formadas. O bebé é do tamanho de um feijão e tem a mesma forma.
10 semanas Os olhos movem-se para a frente da cara e formam-se as pálpebras, que se unem (separam-se mais tarde, no segundo trimestre). O feto começa a cerrar os olhos, abre a boca e faz pequenos movimentos com os dedos dos pés e das mãos.
11 semanas As bochechas, sobrancelhas e braços são sensíveis ao tacto.
12 semanas As papilas gustativas desenvolvem-se e amadurecem. Calma com as anchovas, mãe.
14 semanas O sistema imunológico desenvolve-se rapidamente, com a formação de células T. Já se detectam muitos químicos do sistema digestivo, como a bilirrubina do fígado e a insulina do pâncreas. O bebé começa a desenvolver a pele, o cabelo e as unhas. Começa a engolir. Toda a superfície do corpo é sensível ao tacto. Tamanho do feto: mais ou menos o de uma laranja.
16 semanas Os genitais são visíveis. Os cem milhões de neurónios que se formam no córtex visual primário começam a desenvolver-se a partir deste momento até às 28 semanas. A respiração desenvolve-se. Tamanho: mais ou menos o de uma toranja.
20 semanas As orelhas sobressaem da cabeça. Uma penugem cobre o corpo. Tamanho: 300 gramas, o peso de dois iPods.
25 semanas O feto reage aos sons. Cuidado com o que diz.
26 semanas O feto é capaz de sugar. É capaz de ouvir sons. Podem ver-se as sobrancelhas e as pestanas. Tamanho: 630 gramas (mais ou menos o peso de três laranjas). Quase metade dos bebés que atingem esta idade conseguem sobreviver a um parto prematuro.
29 semanas Os pulmões, já com fluidos no seu interior, começam a expandir-se e a comprimir-se simulando o movimento da respiração.
30 semanas Os olhos são sensíveis à luz e o olfacto começa a desenvolver-se. O feto consegue sugar e engolir, para ajudar a desenvolver o sistema gastrintestinal. Além disso, pode ter soluços e pode respirar, o que é muito bom caso venha a nascer nesta fase, uma vez que noventa por cento dos bebés sobrevivem. Tamanho: 1,100 quilogramas, ou o peso de um ananás.
34 semanas A pele é vermelha e engelhada. A gordura começa a depositar-se para cobrir o feto. Ganha reflexos como pestanejar e agarrar, e começa a ter padrões de sono perceptíveis. Tamanho: 1,800 quilogramas ou o tamanho de um chihuahua médio.
36 semanas Se ainda não o fez, o bebé começa a descer na direcção da pélvis para se preparar para o parto. As unhas cresceram e estão completamente formadas.
37 semanas Os pulmões desenvolvem-se e se o bebé nascer já não é considerado prematuro. Encara-se como uma gestação de termo.
38 semanas Com a formação de mais gordura, o corpo torna-se mais redondo, menos enrugado. Tamanho: 2,5 quilos ou o peso de um portátil levezinho.
40 semanas Termina o período normal de gestação. Todos os sistemas a funcionar.
Mistérios da maternidade
Tudo o que acontece dentro e fora da barriga ao longo de 280 dias de gravidez. As coisas mais incríveis sobre o corpo, da concepção ao nascimento. YOU Vou Ter Um Bebé, o Manual de Instruções para Uma Gravidez Saudável e Feliz é uma obra a ler por todas as mulheres que não querem entrar em parafuso antes e depois do nascimento dos filhos. «Estamos aqui para acabar com mitos, para desafiar a sua mente e preparar o seu corpo para a maior viagem que o ser humano pode fazer, desde o momento em que duas células se tornam uma até ao momento em que o seu pequeno rebento sai da concha confortável que é a sua barriga», referem os autores e médicos Michael F. Roizen e Mehmet C. Oz. O primeiro, especialista em medicina interna e presidente do Departamento de Anestesiologia da Universidade de Chicago, entrou no corredor da fama após a «invenção» do conceito Real Age. Já Mehmet Oz, um reputado cirurgião cardíaco, tornou-se célebre com a rubrica «Ask Dr. Oz», no programa The Oprah Winfrey Show, e desde há um ano é a estrela maior do seu próprio programa, The Dr. Oz Show, que passa de segunda a sexta-feira na SIC Mulher. Um verdadeiro comunicador.
YOU Vou Ter Um Bebé, a Manual de Instruções para Uma Gravidez Saudável e Feliz, de Michael F. Roizen e Mehmet C. Oz. Uma edição Lua de Papel.